Ensaios em lubrificantes: tudo o que você precisa saber sobre Ponto de Fulgor e Ponto de Combustão

Ensaios em lubrificantes: tudo o que você precisa saber sobre Ponto de Fulgor e Ponto de Combustão

Ponto de fulgor:

O ponto de fulgor representa a temperatura que o óleo deve atingir para que uma chama, passada sobre a sua superfície, incendeie os vapores formados; a labareda formada extingue-se imediatamente, uma vez que a temperatura do óleo ainda é insuficiente para produzir vapores em quantidades suficientes para sustentar a combustão. Outro detalhe verificado é que, ao retirar-se a fonte de calor, acaba a inflamação (queima) da mistura.

Os principais métodos para medir o ponto de fulgor, são: ASTM D 56, ASTM D 92 (DIN 51 376), ASTM D 93 (DIN 51 758)

1)usando vaso aberto (D 92)

2)usando vaso fechado (D 56 e D 93)

O método de vaso aberto é utilizado para óleos lubrificantes em geral, de ponto de fulgor elevado e quando não houver suspeita de contaminação por frações leves, tais como combustíveis e solventes. O método de vaso fechado, mais preciso, é usado no caso de produtos com ponto de fulgor baixo.

Imagem 1: Aparelho usado para ensaio de ponto de fulgor vaso aberto.

Imagem 1: Aparelho usado para ensaio de ponto de fulgor vaso aberto.

Imagem 2: Aparelho usado para ensaio de ponto de fulgor vaso fechado.

Imagem 2: Aparelho usado para ensaio de ponto de fulgor vaso fechado.

É um dado importante para classificação dos produtos combustíveis, em especial no que se refere à segurança, aos riscos de transporte, armazenagem e manuseamento.

A distinção entre produtos inflamáveis e combustíveis para efeitos de seguro, segurança de transporte, segurança trabalhista e etc., baseia-se no ponto de fulgor. Um produto que apresente um ponto de fulgor abaixo de 65,6°C (ensaio de vaso aberto) ou abaixo de 60,5°C (ensaio de vaso fechado) é considerado inflamável (embora seja também combustível); acima deste valor é considerado combustível e não inflamável. Essas definições estão disponíveis na norma regulamentadora NR 20, que trata da segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combustíveis.

O ponto de fulgor não deve ser confundido com a temperatura de autoignição, a qual não requer uma fonte de ignição, ou o ponto de combustão, a temperatura na qual o vapor continua a queimar após ter sofrido ignição. Nem o ponto de fulgor, nem o ponto de combustão são dependentes da temperatura de autoignição, que é muito mais elevada.

Ponto de combustão:

O método de medição do ponto de combustão é semelhante ao de identificação do ponto de fulgor; enquanto neste ensaio é encerrado quando a amostra apresenta o primeiro clarão (flash), para obter-se o ponto de combustão continua-se o aquecimento até que a amostra produza vapores suficientes para que sustente a combustão. O ponto de combustão, para óleos lubrificantes, é usualmente 30°C a 60°C acima do ponto de fulgor.

O método usado para medir o ponto de combustão é o ASTM D 92.

 

Dica Biolub:

A Biolub possui laboratório equipado para análise e desenvolvimento de lubrificantes industriais.

Agora que você já sabe sobre ponto de fulgor e ponto de combustão para lubrificantes industriais, confira sobre a viscosidade de lubrificantes industriais.

2 comentários em “Ensaios em lubrificantes: tudo o que você precisa saber sobre Ponto de Fulgor e Ponto de Combustão”

    • Bom dia Vanderley! Tudo bem?

      Não fornecemos equipamentos para laboratório, porém caso tenha alguma dúvida técnica e queira nos perguntar, fique a vontade. Quem sabe conseguiremos te ajudar (:

      Saudações Biolub.

Deixe um comentário